Sobe para doze o número de municípios do PR atingidos por vendaval

Ventania teve pico perto das 4 da manhã e causou destelhamentos e quedas de árvore. Em Curitiba, trânsito foi afetado por causa de semáforos desligados

 

Um forte vendaval registrado nesta madrugada de quinta-feira (27) atingiu, pelo menos, doze municípios do Paraná. As informações são do segundo relatório do dia divulgado pela da Defesa Civil Estadual, às 11h15. No início da manhã, o boletim oficial registrava danos em cinco cidades paranaenses.

No Paraná, a chuva chegou acompanhada de ventos que atingiram 107 km/h. A velocidade foi registrada em Lapa, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC). Na capital, a ventania atingiu 70 km/h. Segundo o Simepar, a frente fria que causou os estragos já passou.

Fora Curitiba, Cascavel, Guarapuava, Ponta Grossa e São José dos Pinhais, que já haviam sido citados pelo órgão, entram agora na lista os municípios de Almirante Tamandaré, Campina Grande do Sul, Campo Largo, Colombo, Fazenda Rio Grande, Itaperuçu e São Miguel do Iguaçu.

O saldo da Defesa Civil, até o momento, é de 256 casas danificadas – sendo 108 em Ponta Grossa – e 1.048 pessoas prejudicadas. Em Itaperuçu, quatro pessoas estão desalojadas. Em Fazenda Rio Grande, um morador teve que ir para casa de parentes ou amigos.

O órgão não aponta feridos, embora a Defesa Civil de Guarapuava tenha relatado que um jovem de 20 anos foi atingido pela queda de uma placa de sinalização no centro da cidade e foi levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) com ferimentos leves.

Curitiba e região metropolitana

Em Curitiba, a Defesa Civil do município concentra registros de árvores derrubadas, semáforos desligados, casas sem energia elétrica e destelhamentos. Até as 8 horas, segundo a prefeitura de Curitiba, foram abertas 145 solicitações de atendimento sobre árvores que bloqueavam vias em 19 bairros da cidade.

Três residências foram atingidas por árvores, e o Corpo de Bombeiros registrou 12 eventos de destelhamento.

Segundo a prefeitura, as regionais mais atingidas foram a da Boa Vista (54 solicitações), Matriz (31) e Santa Felicidade (17). Os bairros mais afetados foram CIC, Tatuquara, Centro, Jardim Botânico, Santa Cândida, Pilarzinho, Abranches, Bigorrilho, Portão, Ahú, Barreirinha e Campo Comprido.

Conforme a Defesa Civil, a maior parte dos problemas foi causada pelos ventos fortes, que ocasionaram destelhamentos e quedas de árvores, já que não houve chuva em grande quantidade.

O Departamento de Gestão de Risco da Secretaria Municipal de Meio Ambiente informou, por volta das 11h30, que o bairro Novo Mundo recebeu o volume máximo de chuvas (21 mm) e o Pilarzinho, o menor (13 mm).

Ao todo, 500 funcionários da prefeitura foram deslocados nesta amanhã para atender as ocorrências relacionadas às chuvas.

Na região metropolitana, a tempestade causou estragos em Almirante Tamandaré, Campo Largo, Colombo e Fazenda Rio Grande. A Defesa Civil informou que em Lapa, os ventos chegaram a 100 km/h.

Em Campo Largo, parte da entrada do Hospital Nossa Senhora do Rocio, foi destelhada. Mas o prejuízo foi pequeno e não afeta o atendimento no local. Na cidade, uma marmoraria teve o telhado totalmente arrancado. A estrutura foi parar em cima de duas outras casas vizinhas, que também ficaram danificadas.

A tempestade começou por volta das 3h30 da manhã. A intensidade máxima foi atingida às 3h45, quando, pela medição do Simepar, foram registrados ventos de 59,76 km/h. O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) apontou 70 km/h.

Ventania em Lapa chega a 107 km/h

O Simepar informou que os ventos mais fortes desta madrugada atingiram 107 km/h, em Lapa, na região metropolitana de Curitiba.

Apesar da ventania, a Defesa Civil do município informou que não houve prejuízos no local. Até às 10h40, não havia registros de destelhamentos, nem pessoas desabrigadas ou desalojadas. Conforme o órgão, as únicas ocorrências de Lapa se resumiram a quedas de árvores em vias da zona rural do município.

Comentários

FONTEGazeta do Povo
COMPARTILHE