Paraná já vacinou 58% das crianças contra a pólio

Até o momento, o Paraná é o segundo Estado com a melhor cobertura vacinal do país, atrás apenas de Santa Catarina.

Em uma semana, quase 400 mil crianças já foram vacinadas contra a poliomielite no Paraná. Isto representa 60% do público-alvo da campanha, que neste ano imuniza meninas e meninos menores de cinco anos de idade. A mobilização envolve mais de 2,2 mil unidades de saúde do Estado e segue até sexta-feira (31). Foto: Venilton Küchler/SESA

Em uma semana, quase 400 mil crianças já foram vacinadas contra a poliomielite no Paraná. Isto representa 60% do público-alvo da campanha, que neste ano imuniza meninas e meninos menores de cinco anos de idade. A mobilização envolve mais de 2,2 mil unidades de saúde do Estado e segue até o dia 31 de agosto.

Até o momento, o Paraná é o segundo Estado com a melhor cobertura vacinal do país, atrás apenas de Santa Catarina (61%). A expectativa é que a meta de vacinar pelo menos 95% do grupo prioritário seja atingida já na próxima semana. “Para isso, é preciso que os pais façam a sua parte e levem seus filhos à um posto de vacinação o mais breve possível”, ressalta o secretário estadual da Saúde, Michele Caputo Neto.

Desde 1990 o Brasil não registra casos de poliomielite. No Paraná, a última ocorrência foi registrada em 1986. Contudo, a doença, também conhecida como paralisia infantil, ainda atinge nove países no mundo e por isso é preciso reforçar as medidas de prevenção para reduzir o risco do vírus ser reintroduzido no país.

Quem aproveitou a primeira semana da campanha para levar a filha se vacinar foi Andreia Aparecida dos Santos, mãe da pequena Gabriele, de dois anos e três meses. Ela afirma que ficou sabendo da campanha pela televisão e resolveu imunizar sua filha logo no primeiro dia. “Com saúde não se brinca. Não podemos deixar esse tipo de coisa para a última hora e por isso preferi trazê-la já para deixá-la protegida”, afirmou.

MULTIVACINAÇÃO – Simultaneamente à campanha de vacinação contra a pólio, as equipes de saúde também estão realizando uma grande mobilização para alertar os pais sobre a importância de manter as carteirinhas de vacinação dos filhos sempre atualizadas. “O objetivo é avaliar se há alguma dose atrasada no esquema vacinal das crianças menores de cinco anos”, explica o coordenador estadual de Imunização, João Luis Crivellaro.

Estão disponíveis vacinas contra tuberculose, rotavírus, sarampo, rubéola, caxumba, varicela, meningites, febre amarela, hepatites, difteria, tétano, coqueluche.

Segundo o aposentado Antônio Rodrigues dos Santos, avô do pequeno Gustavo, de 3 anos, a ação facilita para aqueles pais que às vezes esquecem de verificar a carteirinha de vacinação de seus filhos e perdem a data de aplicação de alguma dose. “É bom que a criança pode sair daqui da unidade com tudo em dia e protegida de muitas doenças”, afirmou ele.

Comentários

FONTEAEN
COMPARTILHE