Mais de 2 mil migrantes entram na Hungria pela fronteira com a Sérvia

Um número recorde de migrantes atravessou a fronteira da Sérvia com a Hungria, país que integra a União Europeia (UE), anunciou a polícia húngara nesta terça-feira (25).

Um total de 2.093 pessoas atravessaram a fronteira, um recorde para apenas 24 horas, o que aconteceu poucos dias antes do fim da construção de uma barreira que, segundo o governo húngaro, evitará a entrada de migrantes.

O grupo é parte dos quase 7.000 migrantes que se viram bloqueados na Grécia na semana passada, quando a Macedônia declarou estado de emergência e fechou as fronteira ante o deslocamento em massa de imigrantes, na crise de refugiados mais grave na Europa desde II Guerra Mundial.

Várias pessoas relataram à AFP na fronteira húngara que viajaram pela Sérvia depois que atravessaram a fronteira da Grécia com a Macedônia.

Jovem dorme no chão em área onde migrantes encontraram abrigo temporário em Belgrado (Foto: Andrej Isakovic / AFP)Jovem dorme no chão em área onde migrantes encontraram abrigo temporário em Belgrado (Foto: Andrej Isakovic / AFP)

“Ficamos parados na Macedônia por dois dias, os confrontos eram horríveis, a polícia usou pistolas e gás lacrimogêneo. Eu vi quando agrediram uma idosa e tiraram seus documentos e dinheiro”, contou um engenheiro iraquiano de 29 anos, que fugiu do grupo Estado Islâmico e não quis revelar seu nome.

No decorrer do ano, a Hungria registrou 100.000 pedidos de asilo, mais que o dobro do total em 2014, e muito superior aos 2.000 de 2012.

Os números aumentaram bruscamente em agosto, a quase 1.500 por dia, depois que o governo conservador da Hungria anunciou a construção de uma barreira de arame farpado na fronteira sul, no limite com a Sérvia.

Nos últimos dias, os migrantes entraram na Hungria por trem, perto de Roszke, em um dos poucos trechos da fronteira com a Sérvia que ainda não conta com a barreira. De acordo com Budapeste, o ‘muro’ será finalizado em 31 de agosto.

A barreira na fronteira é uma das muitas e duras medidas anti-imigração adotadas pelo governo de Viktor Orban, que incluem leis de asilo mais rigorosas, multas por atravessar a fronteira de maneira ilegal ou o fechamento de acampamentos permanentes de refugiados.

Migrantes sírios atravessam linha de trem na fronteira entre Hungria e Sérvia, próximo de Roszke (Hungria)  (Foto: Laszlo Balogh/ Reuters)Migrantes sírios atravessam linha de trem na fronteira entre Hungria e Sérvia, próximo de Roszke (Hungria) (Foto: Laszlo Balogh/ Reuters)

 

Comentários

COMPARTILHE