Amal Clooney está no Egito para julgamento de jornalista da Al Jazeera

Ele é acusado de trabalhar para Irmandade Muçulmana. Fahmy, de nacionalidade canadense, foi condenado com mais 6 jornalistas.

A advogada especializada em direitos humanos, Amal Clooney, mulher do ator George Clooney, está no Cairo neste sábado (29) para uma sessão do julgamento de seu cliente Mohammed Fahmi, jornalista da “Al Jazeera”, acusado de divulgar notícias falsas e trabalhar para a Irmandade Muçulmana.

Fahmy, que possui nacionalidade canadense, foi condenado junto a outros seis jornalistas da mesma emissora a entre 7 e 10 anos de prisão.

No entanto, o Tribunal de Cassação anulou a sentença e ordenou a repetição do julgamento, que começou um mês depois e cuja sentença pode sair hoje.

A leitura do veredicto já foi adiada em duas ocasiões.

Junto com Fahmi, estão sendo processados Baher Mohammed e o australiano Peter Greste, deportado à Austrália em fevereiro após a anulação do processo anterior.

Os jornalistas passaram mais de 400 dias na prisão e recuperaram a liberdade no começo do novo julgamento após pagar uma fiança de mais de US$ 32 mil.

A presença de Amal Clooney na sessão acontece sete meses após uma breve polêmica suscitada por declarações da advogada ao jornal britânico “The Guardian” nas quais revelou que as autoridades do Cairo ameaçaram prendê-la se publicasse um relatório sobre o sistema judiciário do Egito.

O governo egípcio respondeu assegurando que a advogada podia viajar ao Egito quando quisesse e ressaltou que não havia “nenhuma medida” que impedisse sua entrada ao país.

Comentários

VIAEFE
FONTEG1
COMPARTILHE