Venda de veículos cai 23,9% em 1 ano

Foram emplacadas 207.269 unidades no mês passado. Acumulado do ano apresenta queda de 21,35%.

A venda de veículos no Brasil teve queda de 23,92% em agosto, ao comparar com o mesmo mês do ano passado, informou a Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), nesta quarta-feira (2).

De acordo com a entidade, foram 207.269 automóveis, comerciais leves, ônibus e caminhões emplacados no mês passado, enquanto agosto de 2014 teve 272.448. O valor representa um decréscimo de 8,94% em relação a julho deste ano, que somou 227.613 unidades.

Nos primeiros 8 meses do ano, as concessionárias venderam 21,35% menos do que no mesmo período de 2014. Houve 1,75 milhão de emplacamentos contra 2,23 milhões no ano passado.

“As causas que justificam os números são a crise política, que está piorando a situação econômica, a falta de confiança do consumidor em alta, desemprego e inflação em alta, aumento dos juros, e queda do PIB já no ano de 2015”, afirmou Alarico Assumpção, presidente da Fenabrave.

O consumidor tem preferido um usado mais equipado do que um novo”
Alarico Assumpção, presidente da Fenabrave

Segundo o executivo, há estoque para 45 dias, com cerca de 310 mil unidades, considerando concessionárias e pátio de fábricas. “O consumidor tem preferido um usado mais equipado do que um novo”, apontou.

Concessionárias fechadas
Até agosto, houve uma redução de 347 concessionárias no país. No total, 691 revendas não emplacaram veículos, enquanto 344 lojas abriram as portas. “Se marcas como Jeep e Audi não tivessem aumentado a rede, este saldo seria ainda pior”, comentou Alarico. Apenas no setor de distribuição, 17 mil empregos deixaram de existir, segundo a Fenabrave.

Onix lidera
Pela primeira vez, o Onix liderou o ranking mensal de vendas de carros (automóveis mais comerciais leves), superando o Fiat Palio, que encabeçou a lista de janeiro até julho.

O hatch da Chevrolet teve 10.998 unidades emplacadas contra 9.259 do Palio, um volume que considera vendas do Palio Fire (geração antiga) e do Novo Palio (assim como a Fenabrave fazia com o Gol e Gol G4 e Uno e Mille, antes das gerações antigas serem aposentadas).

Em tempos de crise e baixa nas vendas em geral de carros, o Toyota Corolla repetiu a 10ª colocação no ranking, com 5.735 unidades emplacadas. É o mais caro entre os top 10, com preços que vão de R$ 69.690 a R$ 101.590.

Caminhões e ônibus
O setor de veículos pesados vem sofrendo mais. Entre os caminhões, a queda foi de 10,42% na comparação com julho e de 46,1% sobre agosto do ano passado, com 5.836 emplacamentos.

Já o setor de ônibus caiu 6,95% ante julho e 37% em relação a 2014, somando apenas 1.580 unidades em agosto. Entre os carros de passeio e comerciais leves (picapes e furgões), as vendas recuaram 8,9% na comparação mensal e 22,8% na anual, com 199.853 unidades.

Motos
O segmento de duas rodas não é contabilizado entre os veículos, mas também acumulou queda de 16% de janeiro a agosto. Foram 99.901 unidades no mês passado, o que elevou a soma no para 849.449, ante 950 mil no mesmo período de 2014.

Projeção piorou
Após o fechamento do 1º semestre, que foi o pior desde 2007, a Fenabrave piorou as projeções para o ano. Em janeiro, a expectativa era de 10% de queda nas vendas sobre 2014.

Em maio, foi revisada para 18,9% e passou para 23,9% em julho – valor que foi mantido agora. A Fenabrave estima um total de 2,6 milhões de veículos emplacados, 834 mil a menos do que no ano passado.

Comentários

FONTEAuto Esporte
COMPARTILHE