Amamentar em público constrange 32% das mulheres, diz pesquisa com mães de dez países

O país com o maior percentual de mulheres acanhadas com a amamentação é a China: 45,9%.

Não são todas as mulheres que se sentem à vontade ao amamentar o filho em público. É o que reforça uma pesquisa realizada com mais de 13 mil mulheres em 10 países que mostrou que 32% das mulheres se sentem constrangidas com a amamentação em público.  Foram entrevistadas mulheres de 18 a 45 anos que estavam grávidas ou tinham pelo menos um filho de até dois anos de idade. A pesquisa foi realizada pela Lansinoh Laboratórios, líder mundial em produtos para amamentação.

  • Veja aqui o resultado da pesquisa completa.

Amamentar em público é visto como algo perfeitamente natural para 38,2% das entrevistadas e inevitável para  26,1%. O país com o maior percentual de mulheres acanhadas com a amamentação é a China: 45,9%. Em segundo lugar está a França (44,6%). A cidade de São Paulo adotou multa de R$ 500 reais para estabelecimentos que constrangerem mulheres que estão amamentando.

Apesar de aprovarem a amamentação em público, 47,5% das brasileiras disseram que já foram criticadas ou sofreram preconceito por esse gesto. Em seguida, aparecem as canadenses, onde 41% também se sentiram criticadas por amamentar em público.

Quando questionadas sobre o que pensariam se vissem uma mãe amamentando um filho de dois anos em público, a maioria das mexicanas e alemãs responderam que achariam que a criança é muito grande para ser amamentada. As brasileiras são as que mais aprovam a amamentação de crianças mais velhas: 48%. Para 71% das entrevistadas, a criança é grande demais para continuar a ser amamentada.

Comentários

FONTECatraca Livre
COMPARTILHE