Começa hoje 14ª edição do Encena

O evento que acontece entre os dias 29 e 02 de setembro, trás junto à programação a realização de oficinas no Sesc

Espetáculo “Tistou” é uma adaptação da obra de Maurice Druon Foto: Divulgação/Encena

Começa hoje, 29, um dos eventos culturais mais esperados do Norte Pioneiro, a 14ª edição da Mostra de Teatro de Jacarezinho, o Encena. Neste ano, a programação inclui sete espetáculos de palco e de rua, com vários pontos de acesso à cultura na cidade. As apresentações serão realizadas no Conjunto Amadores de Teatro (CAT), Centro da Juventude José Richa, praça Rui Barbosa e auditório do Centro de Letras Comunicação e Artes da Uenp (Antiga Fafija). O evento que acontece entre os dias 29 e 02 de setembro, trás junto à programação a realização de oficinas no Sesc – proporcionando reflexões, debates e conhecimento teatral. Todos os espetáculos terão entrada gratuita.  A retirada dos ingressos poderá ser feita no CAT das 9 às 11h30 e das 13h30 às 17 horas. Poderão ser retirados apenas dois ingressos por pessoa. A distribuição é limitada dada a capacidade de público de cada espaço. O evento é uma realização da prefeitura de Jacarezinho em parceria com a Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP) e o Serviço Social do Comércio (Sesc) que uniram forças para proporcionar à região o acesso ao importante patrimônio cultural do Norte Pioneiro, o Encena.

A Cia Daniel Salvi faz a abertura nesta quarta-feira, 29 em dose dupla. O espetáculo “O Poste” será em duas apresentações: às 9 horas, na Praça Rui Barbosa; e às 17 horas no Centro da Juventude José Richa. A sinopse detalha um trabalhador que deve trocar uma lâmpada queimada no alto de um poste. Uma tarefa simples para um profissional qualificado, mas que pode se tornar uma sequência de peripécias cômicas e catastróficas se realizadas por um “faz-tudo” desatualizado. Em meio às tentativas frustradas e irritações, ele descobre que só precisava relaxar para conseguir alcançar seu objetivo.

A segunda atração que será apresentada também nesta quarta-feira, 29, às 20h30, no CAT, é considerada a prata do Encena. A atriz Adelvane Neia, de Jacarezinho, apresenta o solo “Desfazer A-MA-LA”. De acordo com a sinopse o ato de desfazer A-MA-LA nos faz lembrar o retorno de uma viagem ou partir e chegar a outro lugar. Essa foi a motivação encontrada pela atriz jacarezinhense da Cia Humatriz Teatro, para compartilhar, com o público, alguns aspectos do processo de montagem de seu solo. Trata-se, portanto, de um encontro em que a atriz partilha sua experiência como palhaça por meio do exercício memorialístico de (re)construção de uma trajetória de vida-arte-vida após 20 anos da estreia.

A terceira atração do Encena ficará por conta da Cia Circo Rodado, que exibirá o espetáculo “Reprises pareadas”. Cortejo na quinta-feira, 30, às 9h, na Rua Paraná, e espetáculo em dose dupla: às 9h30 e às 14h30, na Praça Rui Barbosa. Trata-se de uma trupe de palhaços se apresenta como um grande circo. Eles se viram como podem, pois são todas as atrações de que o circo dispõe. Os palhaços apresentam um cortejo musical, um drama familiar (O pai do meu filho), uma demonstração de habilidade com chicote, uma reprise clássica (Abelha, abelhinha) e finalmente uma aberração da natureza exclusiva e fantástica (O homem que vira galinha caipira). Tudo isso permeado pelas trapalhadas desta trupe de palhaços errantes e sua relação com o público.

E para ninguém ficar de fora, O Encena trás mais um espetáculo em dose dupla na quinta-feira, 30, e na sexta-feira, 31, com a renomada atriz Nena Inoue, da Cia Espaço Cênico.  O espetáculo “Para não morrer” será exibido, respectivamente, no CAT e no auditório da antiga Fafija, às 20h30. A peça conta histórias verídicas de mulheres – célebres ou anônimas – que transformaram o meio e as pessoas com as quais conviveram. Um espetáculo feminino e feminista atrelado à questões políticas, especialmente da América Latina. Este solo recebeu o Premio Troféu Gralha Azul de Melhor Atriz do Estado do Paraná/2017. “Para não Morrer” é corpo presente. Contragolpe. Exercício de Resistência.
O Núcleo Solar de Teatro apresenta a peça “Tistou” na sexta-feira, dia 31, às 19h e às 22h, no CAT. O espetáculo é uma adaptação da obra de Maurice Druon. A dramaturgia “O Menino do Dedo Verde” foi desenvolvida pelo grupo, que há 10 anos pesquisa o tema “Normose –(patologia da normalidade)”. Aliado ao teatro físico, busca na linguagem corporal possibilidades de transpor os conflitos da sociedade, onde palco e plateia partilham de uma experiência sensorial em um encontro cênico. A história conta as aventuras de Tistou, um menino que tem o poder de florescer tudo o que toca com o seu polegar.

No sábado, 01 de setembro, o Encena continua no palco do CAT. A Cia Obragem encenará, às 20h30, o espetáculo “O Céu de Valentim” – um Anjo revela ao menino órfão, Valentim, que seu pai está vivo em algum lugar. Animado, Valentim, junto de sua Avó, parte em busca do pai. No caminho, carregando todos os seus pertences, eles encontram pistas, conhecem diferentes figuras e entram em contato com difíceis situações como o medo, o cansaço e as despedidas. O confronto entre a pobreza e as surpresas do caminho redimensionam os espaços do corpo, da natureza e da possibilidade de reescrever a própria história.

Para encerrar a 14ª edição do Encena, a Cia Obragem retorna aos palcos do CAT para encenar a peça “Essencial”, no domingo, 02, às 20h30. “Essencial” é uma peça com características performáticas, que reflete sobre a manutenção da vida humana sobre a Terra, de forma a relacionar as necessidades vitais de sobrevivência ao caminho afetivo que percorremos durante as nossas vidas.

OFICINAS
Todas as oficinas do Encena serão realizadas na unidade do Sesc Jacarezinho. Na sexta-feira, 31, às 9 horas, acontece a oficina “Livre de teatro (Para não morrer)”; No sábado, 01 de setembro, às 9 horas será realizada a oficina “O eixo (ou a base)”; No domingo, 02, a oficina “A vibração das camadas de presença do intérprete criador” acontece às 9 horas; E às 13 horas o circuito de oficinas encerra com o tema “O ser e a cena (oficina de teatro)”. Todas as oficinas tem classificação indicativa acima de 14 anos.