Ratinho quer agência para desenvolvimento regional

Pré-candidato do PSD participou, ontem, de encontro com lideranças em Santo Antônio da Platina

Ratinho Júnior durante encontro com lideranças na Acesap, em Santo Antônio da Platina Foto: Antônio de Picolli

O desenvolvimento econômico e social do Norte Pioneiro deve passar, necessariamente, por um modelo de gestão compartilhada através de uma agência de fomento. Esta é a tese defendida pelo deputado estadual e pré-candidato ao governo do estado, Ratinho Junior (PSD), durante encontro com lideranças da região no auditório da Associação Comercial e Empresarial de Santo Antônio da Platina (Acesap).

Num discurso claro e conciso, o jovem político, de 37 anos, quatro mandatos parlamentares e passagem pelo executivo estadual como secretário de Desenvolvimento Urbano, discorreu sobre o que pretende caso venha ser confirmado como candidato e eleito no pleito de outubro desse ano. Para Ratinho Junior, uma agência de desenvolvimento regional reuniria todos os segmentos dos municípios da Amunorpi, com participação estratégica de entidades como Emater, sindicatos, associações comerciais, Sebrae, entre outras instituições.

Informado pela Tribuna do Vale sobre o trabalho que o Sebrae vem realizando na região, notadamente no incentivo à produção de cafés especiais e agroindustrialização, Ratinho se mostrou entusiasmado com a ideia e disse que é este tipo de parceria que ele busca, e que vê nas agências de desenvolvimento o instrumento para transformar o interior do Paraná.

Durante seu discurso o pré-candidato foi enfático ao criticar o atual modelo universitário do Estado, que consome recursos financeiros e tempo em pesquisas acadêmicas, na maioria, dissociadas da realidade econômica e social do Paraná. “A universidade deve estar inserida na realidade socioeconômica de sua região, deve ser um agente participante do modelo de desenvolvimento adotado conforme a vocação local”, salientou.

Mas para se alcançar desenvolvimento, na concepção de Ratinho Junior, é preciso infraestrutura, principalmente na região do Norte Pioneiro que tem como concorrente direto as cidades vizinhas do Estado de São Paulo. “Empresário investe onde tem infraestrutura. Se não tem estrada, do outro lado da fronteira temos rodovias com três pistas em cada sentido! Onde o empresário vai investir?”, questionou o político defendendo a duplicação da PR-092, mas não com recursos do estado, através de modelos como parcerias público privadas.

Enxugamento

Ratinho fez duras críticas ao tamanho da administração estadual. Ele defende o enxugamento da máquina pública, reduzindo das atuais 28 secretarias, para 15, além de outras medidas para corrigir o que define como absurdos, como, por exemplo, a manutenção de uma ilha (das Cobras) para servir ao governador e sua família. Ele citou também a existência de uma chácara (Canguiri), igualmente disponível ao ocupante da cadeira principal do Palácio Iguaçu. “Não é só isso: o Paraná ser dono de uma área de 55 mil hectares de reflorestamento. Isso não é função do Estado”, criticou ressaltando que com o dinheiro da venda desse patrimônio seria possível duplicar uma rodovia como a PR-092.

Prestígio

Estiveram presentes ao encontro em Santo Antônio da Platina, apesar do horário (16 horas), dezenas de lideranças da região, entre prefeitos, ex-prefeitos, vereadores e outras lideranças locais, numa demonstração de prestígio do pré-candidato. Os anfitriões do encontro foram José Afonso Junior (ex-prefeito, ex-deputado estadual e ex-secretário de Estado); e, Pedro Claro de Oliveira Neto (ex-prefeito e pré-candidato a deputado estadual). A comitiva era composta dos deputados estaduais Alexandre Guimarães, Cobra Repórter, do pré-candidato a deputado federal, Reinhold Stephanes Junior .