Deral reduz safrinha de milho para 9,2 mi de toneladas no Paraná

Volume de produção estimado foi revisto, última projeção apontava para 9,4 mi de ton. Até o momento 14% da área cultivada já foi colhida

A perda do milho mais severa está concentrada na região Norte do estado Foto: Antônio de Picolli

Mais uma vez, o Deral (Departamento de Economia Rural) revisou para baixo a projeção para a safrinha de milho do Paraná na temporada 2017/18. A estimativa de julho é de uma produção próxima de 9,2 milhões de toneladas, uma queda de 30% em relação ao ciclo no ano anterior, de 13,2 milhões de toneladas.

O número também é menor do que o reportado no final de junho, de 9,4 milhões de toneladas. Já o rendimento das lavouras foi projetado em 4,41 mil quilos por hectare, um recuo de 20% em comparação com a safrinha passada, de 5,51 mil quilos por hectare.

Segundo o analista de milho do departamento, Edmar Gervásio, o número representa uma perda significativa frente ao estimado anteriormente, de 12 milhões de toneladas de milho. “A falta de chuvas entre os meses de abril e maio, foram mais de 40 dias de tempo seco, prejudicaram a safra. A perda mais severa está concentrada na região Norte do estado”, disse o especialista em recente entrevista ao Notícias Agrícolas.

Até o momento, os produtores paranaenses já colheram 14% da área cultivada nesta safra, de pouco mais de 2,10 milhões de hectares. Em igual período do ano anterior, a colheita já estava completa em 43% da área plantada.

Cerca de 26% das lavouras apresentam boas condições, 50% registram condições medianas e 24% das lavouras estão em condições ruins. A comercialização da safrinha está em linha com o observado em 2017, de 19%, ainda conforme levantamento do Deral.