Palestra a servidores alerta sobre prevenção do câncer de mama

A maneira mais rápida e eficaz de buscar a cura é através do diagnóstico precoce, com exames de rotina e preventivos.

Foto: Jonas Oliveira

O Governo do Paraná promoveu nesta segunda-feira (23) a palestra “Prevenção e Diagnóstico Precoce do Câncer de Mama e Próstata” para servidores públicos estaduais no Palácio Iguaçu, em Curitiba. A exposição, em parceria com a Rede Feminina de Combate ao Câncer (RFCC), foi feita pela farmacêutica bioquímica, Angela Zanlorenzi, voluntária da Rede, instituição vinculada ao Hospital Erasto Gaertner.

Ao abrir o evento, a vice-governadora Cida Borghetti destacou os investimentos promovidos no Paraná para prevenção, diagnóstico e tratamento do câncer e também falou da importância de ações de conscientização e informação.

“A maneira mais rápida e eficaz de buscar a cura é através do diagnóstico precoce, com exames de rotina e preventivos. Por isso é muito importante buscar informação e colocá-las em prática”, afirmou Cida, que também foi autora da lei do dia de Luta Contra o Câncer de Mama (27 de novembro).

OUTUBRO ROSA – Em homenagem ao Outubro Rosa, todos os anos, o Governo do Estado promove ações durante o mês para conscientizar a população sobre a importância do diagnóstico precoce.

O Paraná possui atualmente uma rede de atendimento com 147 mamógrafos que garantiu a realização de 316.637 mamografias em 2016, com um investimento de cerca de R$ 15 milhões.

PALESTRA – A palestra apresentou de forma didática a origem da doença, os diversos tipos de câncer e o trabalho desenvolvido por centros especializados e de excelência na prevenção e tratamento do câncer de mama e próstata.

Os participantes também receberam informações sobre sinais de alerta, metástase, sintomas da doença e como fazer o autoexame na mama, com a prótese “Mamamiga”, que apresenta quadrantes para apalpar e sentir diferentes texturas da mama saudável e com tumor.

“Através da facilidade de informação pela internet, as pessoas pensam que sabem tudo e isso não é verdade. Hoje todos aqui têm a oportunidade de ouvir informações básicas e o privilégio de multiplicar esse conhecimento para pelo menos mais duas pessoas. Desta forma aumentamos os multiplicadores e até mesmo podemos salvar vidas”, afirmou a farmacêutica bioquímica Angela.

MAMOGRAFIA – O Instituto Nacional de Câncer (Inca) estima que, em 2017, o Paraná registre 3,7 mil novos casos de câncer de mama. No Brasil, esse número chega a quase 58 mil casos. Em 2016 houve 1.010 mortes em decorrência do câncer de mama feminino no Estado. No entanto, quando detectado precocemente as chances de cura chegam a 95%.

A mamografia deve ser feita a cada dois anos em mulheres de 50 a 69 anos. Fora da faixa etária e periodicidade, o exame é recomendado somente para mulheres com sinais ou sintomas de câncer de mama, como nódulo, retração do mamilo e outros, ou com histórico familiar em parente de primeiro grau, como mãe, irmã ou filha.

Também participaram do evento o secretário especial para Assuntos Estratégicos, Edgar Bueno; o responsável pelo posto médico do Palácio Iguaçu, Eliseu Portugal; e a ex-vice-governadora Emília Belinati.