Operação conjunta fiscaliza cargas perigosas na BR-153

Receita Estadual lavrou cerca de R$ 40mil em multas por sonegação de impostos

Foto: Antônio de Picolli / Tribuna do Vale

Uma operação envolveu o Corpo de Bombeiros/3º Coordenadoria Regional de Proteção e Defesa Civil, Polícia Rodoviária Federal (PRF), Receita Estadual, e o Serviço Social do Transporte e Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (Sest/Senat) quinta-feira, 5, na BR-153, em Santo Antônio da Platina, para a fiscalização de transportes com cargas perigosas.

De acordo com o sargento Luiz Souza, do Corpo de Bombeiros, o objetivo da operação foi verificar as condições de transporte das cargas para prevenir acidentes. Há muitos veículos que não possuem identificação da carga que estão transportando e isso coloca em risco tanto os usuários da via, quanto as equipes de socorro em casos de acidente, podendo provocar mortes e sérios danos ao meio ambiente. “A identificação desses produtos tóxicos/explosivos é padrão no mundo inteiro para evitar riscos, mas infelizmente ainda há descumprimento da legislação”, explicou.

(Antônio de Picolli / Tribuna do Vale)

Ao assumirem o transporte da carga especial os condutores também devem cumprir com algumas normas, como, por exemplo, não dirigir de bermuda e portar os equipamentos de proteção individual. “Estivemos das 9 às 16 horas, abordamos cerca de 40 veículos, muitos até mesmo sem nota fiscal, sem documento de porte obrigatório. Foram identificados vários em desacordo”, lamentou o sargento.

(Antônio de Picolli / Tribuna do Vale)

O relatório final da operação concluiu que foram abordados 53 veículos. A Receita Estadual autuou por sonegação de impostos 6 veículos, totalizando cerca de R$ 40 mil em multas. A Polícia Rodoviária Federal autuou 12 veículos por diferentes infrações de trânsito e lavrou outras 15 autuações em veículos que transportam cargas perigosas.

(Antônio de Picolli / Tribuna do Vale)