Escolas da educação especial promovem jogos da primavera

Participam em torno de mil estudantes de 13 escolas de Curitiba e Pinhais.

Foto: Hedeson Alves/SEED

A quarta edição dos Jogos da Educação Especial da Primavera 2017 (Joeep) reúne cerca de mil estudantes. Participam da competição escolas de Curitiba e Pinhais que ofertam a Educação Infantil e Ensino Fundamental Anos Iniciais na Modalidade de Educação Especial. As disputas ocorrem nas instalações da Escola Estadual de Educação Básica Lucy Requião de Mello e Silva, no bairro Santa Felicidade.

Alunos de 13 escolas participam de provas de atletismo, futsal, bocha, caçador, golfe 7 – modalidade de golfe criada para o desenvolvimento psicológico e motor de alunos especiais – e provas alternativas que incluem atividades pedagógicas de dança das cadeiras e cabo-de-guerra, entre outras.

As modalidades esportivas e pedagógicas foram escolhidas respeitando as necessidades de cada aluno de modo que contribuam para o desenvolvimento de habilidades como concentração, paciência e calma.

INTERAÇÃO – A diretora da Escola Lucy Requião, Edimara Zanocini, lembrou que o objetivo dos jogos é promover a interação coletiva e contribuir para desenvolvimento de habilidades nos alunos. “Eles precisam aprender a compartilhar, competir, ganhar e perder. Aprender a viver em grupo, pensar no coletivo e a respeitar regras porque elas refletem na sociedade. Quando eles saem dos portões da escola precisam saber que existem regras e que elas valem para todos”, disse.

Edimara destacou ainda o trabalho desenvolvido pelos professores de Educação Física para a promoção dos jogos. “Todo o esforço e dedicação dos profissionais envolvidos na realização dos jogos está sendo recompensado com o bom andamento da competição e a alegria dos alunos”.

Os 15 estudantes da escola Municipal Elis de Fátima Zem, do município de Pinhais, participam pela primeira vez. A professora de Educação Física Ana Paula Lourenço Vieira lembrou a importância da competição esportiva para o desenvolvimento pleno dos estudantes com deficiência intelectual moderada.
“É um momento em que o aluno se sente valorizado e participativo. A atividade esportiva traz vários benefícios aos alunos como a atenção, concentração e habilidade motora”, lembrou Ana Paula.