“Um reino sem dengue” visita mais cinco municípios

O projeto leva o mesmo nome do livro escrito por Alda de Miranda, com ilustrações de Ricardo Girotto.

Literatura e teatro vão abordar o combate a dengue nas peças e histórias (Divulgação)

O projeto de contação de histórias “Um Reino Sem Dengue”, visita mais cinco municípios da Bacia do Paranapanema nos próximos dias, levando literatura e teatro às escolas públicas para estimular crianças no combate ao mosquito Aedes Aegypti. A iniciativa, patrocinada via Lei Rouanet pela Rio Paranapanema Energia – concessionária de oito hidrelétricas na região e subsidiária do Grupo CTG no Brasil –, estará nos seguintes municípios: Jataizinho, no dia 4 de setembro; Leópolis, 5; Santa Mariana, 6; Itambaracá,11; e Andirá, no dia 12.

Para alertar a garotada sobre a necessidade de eliminar o mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya, um ator da produtora cultural Villa7 encena a história usando literatura e teatro de bonecos, tratando um assunto de saúde pública de forma lúdica, interativa e bem-humorada. O projeto “Um Reino Sem Dengue” leva o mesmo nome do livro escrito por Alda de Miranda, com ilustrações de Ricardo Girotto. Ao final da apresentação, cada criança recebe um exemplar da obra.

A ação tem sido bem recebida nas cidades por onde passa, alcançando os objetivos da CTG Brasil, empresa que patrocina o projeto. “O problema da dengue é atual e relevante, por isso nos engajamos nessa tarefa de conscientizar as comunidades, trabalhando a educação de crianças, para que combatam o mosquito e, consequentemente, se previnam das sérias doenças transmitidas por ele”, afirma Salete da Hora, gerente de Comunicação da CTG Brasil. Ela ressalta que enquanto em 2016 foram 25 cidades paranaenses e paulistas sediando 50 sessões de contação de histórias, este ano o projeto ampliou a circulação para 50 municípios e cem apresentações.

Conteúdo escolar

De acordo com a orientadora pedagógica de Jataizinho, Flávia Maria Viana Nunes, o tema abordado no projeto vai ao encontro das atividades de conscientização e prevenção que as escolas promovem dentro da sala de aula. “Dengue é um assunto de interesse de toda a comunidade. Por isso, em um de nossos programas escolar trabalhamos com os alunos a importância de eliminar os criadouros do mosquito Aedes Aegypti. E uma iniciativa como esta da CTG Brasil contribui muito com a nossa proposta educacional”, enfatiza.

Flávia acrescenta que, além do tema, a programação preencha outra necessidade das crianças: o acesso a atividades culturais de qualidade. “A maioria não tem a oportunidade de ir ao teatro ou cinema, e se vê deslumbrada com a programação, o que nos deixa muito satisfeitos com a parceria”, completa.