Traição aos 15 anos traumatizou sertaneja Maiara: ‘Daí que vieram as mágoas’

Dupla afirma ter começado a compor para transmitir mensagem das mulheres

© AGNews

Maiara, da dupla com Maraísa, revelou ter ficado muito abalada após ser traída por um namorado na adolescência. Durante o programa “Mais Você” nesta terça-feira (26), a sertaneja que caiu durante apresentação da Festa do Vinho de Urussanga afirmou que a infidelidade masculina era comum em seus relacionamentos amorosos e relembrou o fato que é considerado por ela um marco para entrar na “sofrência”. “Já fui traída demais. Qual mulher que nunca foi traída? Eu, com 15 anos, descobri que meu namorado estava na praia e tinha ficado com umas três meninas em uma noite. Nunca mais eu esqueci disso. Acho que foi daí que vieram as mágoas”, contou.

‘O BOM MESMO É SOFRER’, DIZ MAIARA

Solteiras, Maiara e Maraísa são diferentes na personalidade – a primeira sempre mostra descontração, como no festival em que brincou dando “sarradas” junto de Marília Mendonça, enquanto a segunda é mais tímida -, mas concordam quando o assunto é inspiração para suas composições. Conversando com Ana Maria Braga, as gêmeas reconhecidas por fãs durante passagem nos Estados Unidos afirmaram que escrevem muitas de suas letras após decepções amorosas com os parceiros. “O bom mesmo é sofrer porque a gente consegue fazer as modas. A sensibilidade aumenta. Parece que o artista precisa disso para produzir”, disse Maiara. Maraísa, que não foi informada pelo ex-affair sobre o rompimento, fez coro à afirmação da irmã: “Quando a gente está namorando e está tudo bonitinho, é mais difícil compor”.

ARTISTAS COMPÕE PARA DAR VOZ À ALA FEMININA

Duas das grandes personalidades do “feminejo”, Maiara e Maraísa destacaram que o início da carreira como compositoras surgiu pela carência de canções com letras que mostrassem o ponto de vista das mulheres. “A gente já tinha a dupla mas escrevia para a gente. Sentia necessidade de escrever as nossas músicas porque, quando a gente ia buscar as músicas nos compositores, elas eram mais masculinas. A gente passou a compor como uma necessidade mesmo de falar o que queria expressar”, disse Maiara. “A gente não conseguia músicas que falassem o que a mulher pensava. Mas foi uma coisa muito intuitiva, muito natural”, conclui a cantora que, junto de Maraísa, compôs canções para outros artistas como “Prisão Sem Grades”, cantada por Jorge e Mateus, “Caso Indefinido”, entoada por Cristiano Araújo, e “Cuida Bem dela”, sucesso na voz de Henrique e Juliano.

(Por Carol Borges)