Porto promove curso para voluntários em emergências ambientais

O curso de 16 horas faz parte de um convênio técnico-cientifico entre a Appa e a Funespar.

Foto: IvanBueno

A Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa) encerrou nesta semana (06) o 3º curso de capacitação para a brigada de atendimento ambiental, que capacitou 50 novos voluntários. Eles poderão atuar no atendimento de fauna petrolizada, em caso de acidentes ambientais envolvendo derramamento de óleo e produtos químicos perigosos.

O curso de 16 horas faz parte de um convênio técnico-cientifico entre a Appa e a Funespar e nesta edição teve a participação dos alunos do curso de Biologia da Universidade Estadual do Paraná (Unespar).

A capacitação, promovida em duas turmas, abordou temáticas como ações de resgate, apoio no transporte de animais resgatados, triagem e destinação da fauna resgatada, obrigações de um voluntário, como eles podem ser acionados e qual o seu papel em um acidente ambiental.

Com os novos alunos, a Appa passa a contar com 100 voluntários, atuando em regime de prontidão e revezamento e mobilizando-se apenas em caso de emergências. Nestas situações utiliza-se como base o Centro de Proteção Ambiental dos Portos de Paranaguá e Antonina (CPA) – a primeira base do Brasil localizada em um porto público e que integra atendimentos a emergências ambientais envolvendo derramamentos químicos e de óleo.

O diretor-presidente da Appa, Luiz Henrique Dividino, explica que o curso é fundamental, tendo em vista que o mercado dispõe de poucos profissionais capacitados para o atendimento da fauna petrolizada em situações de acidentes ambientais. “Esta é mais uma ação da Appa em prol da proteção ambiental do complexo portuário de Paranaguá e Antonina”, enfatizou Dividino.

A Appa possui equipe técnica permanente, formada por biólogos, veterinários e graduandos em ciências biológicas. “Mas constantemente captamos voluntários interessados, que podem se cadastrar, e realizar os treinamentos”, explicou Danyelle Stringari, coordenadora geral do Projeto na Fundação de Apoio ao Desenvolvimento da Faculdade Estadual de Filosofia, Ciências e Letras de Paranaguá e da Universidade Estadual do Paraná (Funespar).

A estudante de ciências biológicas da Unespar, Rafaiani dos Santos Costa, de 17 anos, diz que resolveu fazer o treinamento para contribuir com o cuidado dos animais. “Quis me prontificar como voluntária porque acredito na importância da técnica para o cuidado com os animais e que fazem toda a diferença em um momento de acidente ou emergência”, disse Rafaiani.

Um dos médicos veterinários que ministrou o curso, Paulo Rogério Mangini, falou sobre a comentou sobre a importância de novos voluntários. “Precisamos ter uma brigada com quantidade adequada e com pessoas capacitadas, pois precisamos estar preparados para emergências de qualquer proporção”, complementou Paulo.

O CPA – O Centro de Proteção Ambiental (CPA) ambiental, inaugurado em dezembro de 2016, atende todas as orientações do Plano Nacional de Contingência, abrigando equipe de resgate, brigada de incêndio do Porto de Paranaguá e biólogos responsáveis pela despetrolização da fauna, facilitando a ação e operação, em caso de emergências decorrentes da atividade portuária.

Situado no cais público do Porto de Paranaguá, na beira da água, o CPA possui uma rampa que permite a rápida colocação de embarcações na baía, o lançamento e uso de equipamentos como, por exemplo, barreiras de contenção e recuperadores de óleo em situações de emergência ambiental. Com isso, o atendimento às emergências ambientais acontece duas vezes mais rápido do que o normal.

O Centro tem 1.129 metros quadrados e é equipado permanentemente com embarcações, motobombas, barreiras de contenção, recolhedores, bombas para produtos químicos, tanques para armazenamentos de resíduos sólidos e líquidos e equipamentos de proteção individual para atendimento dos mais variados níveis de emergência.