Polícia Civil tem hoje mais profissionais e melhor estrutura

Os avanços garantidos com a contratação de 1.800 servidores, compra de viaturas e equipamentos

Foto:Jaelson Lucas / ANPr

O governador Beto Richa participou nesta terça-feira (26) da solenidade que comemorou os 164 anos da Polícia Civil do Paraná e destacou os investimentos do Governo do Estado na corporação. Ele lembrou que, desde 2011, foram contratados 1.800 profissionais, entre delegados, investigadores, escrivães e papiloscopistas. “A Polícia Civil é muito valorizada e foi reestruturada no nosso governo. Os novos profissionais fortaleceram a estrutura da corporação, já que 44% do efetivo atual foi contratado na nossa gestão”, afirmou.

A solenidade lotou o Salão de Atos do Palácio Iguaçu, com a presença de policiais e delegados e seus familiares. O secretário de Estado da Segurança Pública, Wagner Mesquita, e o diretor-geral da Polícia Civil, Júlio Reis, também participaram. Policiais que se destacaram em suas funções foram homenageados. “A comemoração é muito merecida. A Polícia Civil é uma das instituições mais antigas do Paraná, tem a idade do nosso Estado e uma trajetória de relevantes serviços prestados à sociedade paranaense”, ressaltou Beto Richa.

Todas as regiões do Paraná foram beneficiadas com novas viaturas para a Polícia Civil, que estão dentro do lote de mais de 3 mil veículos adquiridos pelo Governo do Estado para as forças de segurança, nos últimos anos. “Reestruturamos as polícias Civil e Militar e garantimos melhores condições aos profissionais, com a modernização das estruturas, aquisição de novas viaturas e de armamentos pesados para o combate ao crime organizado”, disse o governador.

VALORIZAÇÃO – Para o delegado-geral da PC, os últimos seis anos foram marcados pela valorização dos profissionais da corporação. “Houve uma atualização salarial, a contratação de mais policiais, aquisição de equipamentos, coletes e armas de melhor qualidade. Tivemos uma importante valorização de 2011 para cá”, disse.

O secretário de Estado da Segurança Pública e Administração Penitenciária, Wagner Mesquita, destacou a dedicação dos policiais civis paranaenses. “Hoje os crimes são apurados em delegacias com bancos de dados próprios e equipes treinadas. Para cada desafio e novos fatos que exigem investigação, a Polícia Civil dá resposta rápida, técnica e objetiva. O governo faz a sua parte e investe em mais recursos, mas sem a dedicação de nossos profissionais, nada disso seria possível”, afirmou Mesquita.

164 ANOS – A data comemora a criação oficial da Polícia Civil. A corporação foi evoluindo até ganhar, em 1969, o primeiro Estatuto da Polícia Civil de Carreira do Estado. “A comemoração dos 164 anos é o momento de confraternizarmos, avaliar nosso trabalho e nos colocar à disposição da sociedade”, afirmou Reis.

O governador, o secretário Wagner Mesquita e o delegado Júlio Reis entregaram medalhas de Tempo de Serviço Policial aos profissionais que se destacaram nas suas funções. Eles receberam medalhas de bronze (10 anos), prata (20 anos) e ouro (30) anos. Além do tempo de serviço, a homenagem atende a critérios de bons serviços à Polícia Civil, à ordem pública e à coletividade policial. Também não podem terem sido punidos disciplinar ou criminalmente.

Confira AQUI os profissionais homenageados

BRAVURA – O policial civil Lourival Prehs recebeu a medalha de mérito por ato de bravura. Nos anos 1990, ao participar de uma investida contra assaltantes em Curitiba, Prehs, mesmo baleado, salvou a vida de uma criança que também foi ferida na troca de tiros. “Eu acho que todo o sofrimento serve para nos tornar uma pessoa melhor, e esta homenagem confirma isso”, disse ele. “Naquele tiroteio acabaram alvejando um garoto de sete ou oito anos. Eu estava quase perdendo a consciência, mas consegui arrastá-lo para debaixo de um caminhão”, contou.

O investigador Rohanito Góes foi homenageado com a medalha de bronze. “Isso nos gratifica e mostra que fazemos um trabalho da forma que a população espera, dentro da legalidade. A homenagem do governo vem para coroar esses dez anos, o que me estimula a continuar o trabalho em benefício à comunidade”, afirmou.

AVANÇOS – Os investimentos do Governo do Estado promoveram ampliação e avanços na área da infraestrutura da corporação, conforme apresentou Richa. Em seis anos, o governo estadual instalou a Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e criou a Delegacia de Furtos e Roubos de Cargas, em Curitiba. Também na capital, o Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente Vítimas de Crime (Nucria) e o Serviço de Investigação de Crianças Desaparecidas (Sicride) ganharam novas sedes.

No Interior, foram instaladas as novas Delegacias de Homicídio de Maringá, Londrina e Cascavel e as novas Subdivisões Policiais em Arapongas e Cianorte. Também foram criadas as Delegacias da Mulher de Cianorte e de Francisco Beltrão e a Coordenadoria das Delegacias da Mulher do Paraná (Codem).

O Governo do Estado iniciou, ainda, o projeto das delegacias cidadãs, voltado ao bom atendimento ao cidadão e que conta com espaços reservados para separar vítimas de agressores. A Delegacia Cidadã de Matinhos já foi inaugurada e outras duas estão em obras, a de Pinhais e de Fazenda Rio Grande.

Outras inovações foram a implantação da Delegacia Eletrônica (www.delegaciaeletronica.pr.gov.br) e do sistema de emissão de atestados de antecedentes criminais online, pelo Instituto de Identificação do Paraná. O Instituto passou a contar com a unidade móvel de atendimento para emissão de carteira de identidade totalmente informatizada, com vantagem no rápido deslocamento para atender a população mesmo nos lugares mais afastados.