Aterro de Cornélio Procópio recebe 120 mudas de árvores

As mudas foram produzidas no viveiro municipal em parceria com o IAP.

Foto: Divulgação/Sanepar

Empregados da Sanepar de Cornélio Procópio iniciaram nesta segunda-feira (25) o plantio de 120 mudas de árvores na área de reserva legal do aterro sanitário da cidade. Foram plantadas mudas de alandra, cajá-manga, ipês roxo, amarelo e branco, magnólia, alecrim de Campinas e guaraná. As mudas foram produzidas no viveiro municipal em parceria com o Instituto Ambiental do Paraná (IAP).

“Como parte das comemorações do Dia da Árvore, a participação dos empregados no plantio de mudas reforça a consciência sobre a importância da preservação do meio ambiente”, disse o gerente regional da Sanepar, Bráulio Lozano Leonel.

A Sanepar e a Prefeitura de Cornélio vão intensificar o trabalho de educação socioambiental para que a população seja mais participativa na separação do lixo reciclável. Desde que a companhia passou a fazer a coleta do lixo e a gestão do aterro sanitário, no fim de 2012, houve um aumento considerável na quantidade de material reciclável coletado. No entanto, junto com o lixo orgânico, ainda é encontrado um grande volume de resíduos que podem ser reciclados.

A coleta de material reciclável passou de 700 quilos por dia, em 2013, para 1,5 tonelada. Entretanto, o gestor do aterro, Wanderley Rafael Marques, afirma que das 33 toneladas de resíduos orgânicos coletados diariamente, 10 toneladas, ou seja, cerca de 30%, são de material reciclável.

Em 2016, a Sanepar promoveu treinamento sobre separação de lixo para 512 professores das redes de ensino municipal, estadual e particular. Além disso, foi apresentada a peça de teatro Heróis da Reciclagem em todas as escolas municipais.

Até o fim deste ano, a Sanepar vai reforçar o treinamento para os 150 empregados da Regional de Cornélio Procópio. O diretor de Meio Ambiente da prefeitura, Oscar Balarin, informou que em 2018 o treinamento será estendido para os 1,2 mil funcionários públicos municipais. “Já envolvemos professores e estudantes. Agora, vamos fazer o dever de casa na Sanepar e na prefeitura para que nossos funcionários levem esta informação para suas famílias”, disse.