Retomada das obras do Conjunto João Furtado continua sem previsão

Novo trabalho tem 12 faixas e surge seis anos depois de "Pitanga" (2011)

Foto: Antônio de Picolli / Tribuna do Vale

O secretário de Assistência Social Cristiano Benedito Lauro anunciou que a retomada das obras das unidades habitacionais do Conjunto João Furtado continua sem previsão. O parecer foi dado às famílias contempladas durante uma reunião na quarta-feira, 24. O projeto prevê a construção de 50 casas, mas apenas 24 estão em fase inicial sofrendo com os desgastes do tempo e vandalismo, pois, estão paradas desde outubro de 2015. O abandono das obras já implicou em diversos problemas para os moradores das redondezas, como assaltos, espaço para uso de drogas e insegurança.

Durante o último final de semana, a situação se agravou, pois, houve ameaças de invasão nas unidades habitacionais ainda não concluídas. A notícia causou aglomeração no local e levou viaturas da Polícia Militar e acompanhamento da prefeitura para acalmar os ânimos. Algumas pessoas demarcaram “casas” e terrenos com seus nomes e outras já estão até cercadas. Porém, nem mesmo o sorteio dos lotes para os contemplados foi realizado.

O chefe do Departamento de Fiscalização Janderson Figueredo garantiu que se houver invasão no local, a prefeitura entrará com pedido de reintegração de posse e se necessário, uso de força policial. “Há pessoas que colocaram seus nomes em três terrenos, não existe isso, ninguém terá escolha, os lotes serão sorteados para ser justo com todos. Qualquer pessoa que invadir o local estará sujeita a sanções”, alertou.

Secretaria de Assistência Social convoca contemplados para recadastramento do CadÚnico (Antônio de Picolli / Tribuna do Vale)

Para garantir o cadastro em dia dos beneficiados, a Assistência Social solicitou que os 50 interessados compareçam na sexta-feira, 24, no Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) para fazer a atualização cadastral do CadÚnico. “Precisamos saber se entre os contemplados, há pessoas mortas, pessoas que mudaram de cidade, ou que mudaram de telefone. Posteriormente, em 30 dias, faremos o sorteio dos lotes, ainda não sabemos como vai ser os critérios do sorteio, mas é necessário que todos compareçam na sexta das 8 às 17 horas sem falta”, orientou o secretário.

Outros sete municípios do Norte Pioneiro passam pelo mesmo problema com as obras paradas. A Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar) informou que está em negociação com o banco Cobansa, de São Paulo, sobre o valor da obra atualizado, afinal, o valor liberado para a construção das moradias em 2012, já não é mais o mesmo para 2017.

Por outro lado, enquanto as partes não chegam a um acordo, os beneficiados reclamam que continuam pagando por alugueis. Inclusive, solicitaram à prefeitura se era possível após o sorteio dos lotes, cada um construir sua moradia, mas não foi autorizado. “Achei injusto esse sorteio porque algumas pessoas já tem casa e foram contemplados novamente. Eu tenho três filhos, pago aluguel e não consegui nada”, reclamou a platinense  Stephanie Miranda.