Relações étnico-raciais são tema na educação paranaense

Atualmente, mais de 31 mil profissionais estão sendo capacitados pela modalidade de Educação a Distância

Foto: Divulgação/SEED

As relações entre os diferentes grupos étnico-raciais, como os descendentes de africanos, europeus e indígenas, são trabalhadas em toda a rede estadual de ensino do Paraná. “Em um momento em que tensões raciais são destaque no noticiário internacional, fica evidente a importância da Educação das Relações Étnicos-Raciais na sala de aula”, explica a coordenadora da Educação das Relações da Diversidade Étnico-Racial do Departamento da Diversidade da Secretaria de Estado da Educação do Paraná, Edna Aparecida Coqueiro.

Para capacitar e aprofundar a informação dos professores das escolas estaduais sobre o tema, a Secretaria organiza formações estratégicas e eventos com participação da sociedade civil. Mais de 31 mil profissionais estão participando da formação “A Beleza, a Riqueza e a Resistência dos Povos Africanos, Afro-Brasileiros e Indígenas”, que utiliza a modalidade Educação a Distância (EaD) e encontros presenciais mensais.

A chefe do Departamento da Diversidade, Marise Ritzmann, destaca a importância desses encontros. “É uma formação estratégica que contempla segmentos excluídos de direitos”, explicou Marise, lembrando que a formação continuada dos profissionais da educação está prevista no Programa Minha Escola Tem Ação (META) da Secretaria.

No início deste mês foi realizada a XIV Edição do Fórum Permanente de Educação e Diversidade Étnico-Racial do Paraná, em Umuarama (região noroeste), com o tema “A Reconquista de Direitos a partir de uma Educação Cidadã”. As atividades incluíram palestras, oficinas pedagógicas, troca de experiências e plenária final para elaboração de documento que aponta demandas do Movimento Social Negro.

E no primeiro semestre, técnicos pedagógicos de todos os Núcleos Regionais de Educação se reuniram em Curitiba para a formação estratégica “Políticas Públicas Educacionais para a Diversidade”. Os temas debatidos foram: Educação das Relações Étnico-Raciais e Ações Afirmativas para a população negra; Educação das Relações de Gênero e Diversidade Sexual; Educação Escolar Indígena e Cigana; e Educação do Campo.