Número de estupros coletivos no Paraná sobe 137% entre 2011 e 2016

O índice para cem mil habitantes é de 2,40 casos e não está entre os maiores do País

(Foto: Tânia Rêgo/ Agência Brasil)

Os casos de estupros coletivos aumentaram 137% entre 2011 e 2016 no Paraná, segundo dados preliminares Ministério da Saúde, obtidos em reportagem da Folha de S Paulo, publicada neste domingo (20). O índice para cem mil habitantes é de 2,40 casos e não está entre os maiores do País, mas é o maior do Sul, já que Santa Catarina tem um íindice de 2.29 e o Rio Grande do Sul, 1,98.

Acre, Tocantins e Distrito Federal lideram as taxas de estupro coletivo por cem mil habitantes –com 4,41, 4,31 e 4,23, respectivamente. Esse tipo de crime representa hoje 15% dos casos de estupro atendidos pelos hospitais –total de 22.804 em 2016. Dados inéditos do Ministério da Saúde obtidos pela Folha apontam que as notificações pularam de 1.570 em 2011 para 3.526, em 2016. São em média dez casos de estupro coletivo por dia em todo o País.

Os números da saúde, contudo, representam só uma parcela dos casos. Primeiro porque a violência sexual é historicamente subnotificada e nem todas as vítimas procuram hospitais ou a polícia e, em segundo lugar, porque 30% dos municípios ainda não fornecem dados ao Sinan.