IF promove “Balaio Cultural”

A programação contou com oficinas, capoeira, workshop, aulão de zumba e apresentações artísticas.

Foto: Divulgação

O Instituto Federal do Paraná (IF) campus de Jacarezinho, promoveu terça-feira, 29, mais uma edição do Projeto “Balaio Cultural”. O evento contou com a participação de aproximadamente 200 alunos e visita do Colégio Estadual Rui Barbosa e da Escola de Educação Básica Maria de Nazaré, educação especial (Apae). A finalidade é proporcionar uma manhã multicultural para os estudantes, envolvendo diversos tipos de artes. Atualmente institucionalizado, o evento acontece bimestralmente e encontra-se no calendário escolar desenvolvido pela nossa equipe multidisciplinar. A programação contou com oficinas, capoeira, workshop, aulão de zumba, debates sobre temas atuais e apresentações artísticas.

De acordo com o assistente de aulas do IFPR Matheus Teixeira de Almeida o projeto existe desde 2014 e busca extensão para o período noturno em suas próximas edições. Além da formação técnica, o projeto tem por objetivo a formação de cidadãos mais críticos e com conhecimento sociocultural. “Promovemos exposições com trabalhos dos estudantes e apresentações artísticas visando dar oportunidade para todos os tipos de arte, poesia, pintura, musical e dança. Fazemos isso todo bimestre, pegamos um dia do calendário acadêmico para proporcionar uma manhã em contato com a arte. E a demanda é grande, os alunos são muito participativos. Ao fomentar a prática cultural no meio educacional formamos cidadãos conscientes e responsáveis pela transformação da realidade social”, comentou Almeida.

Os artistas plásticos Marcos Almeida, de Santo Antônio da Platina e Pablo Gajin, de Santa Cruz do Rio Pardo (SP), foram convidados para participar da manhã de atividades. Para Almeida, a experiência foi incrível, pois, foi possível mostrar um pouco do seu trabalho, dividir experiência e compartilhar sua arte. “Pintei uma tela para eles que deixei como doação para o IFPR. É gratificante ver um número grande de alunos envolvidos com a arte, pois, as oficinas fomentam a cultura da nossa região e estimula cada vez mais o interesse pela arte”, destacou.