Ex incendeia casa de auxiliar de cozinha

Na manhã de quarta-feira, 2, a auxiliar de cozinha retornou pela primeira vez ao local após o incêndio

Casa no Conjunto Habitacional Aparecidinho 2 ficou completamente destruída (Antônio de Picolli / Tribuna do Vale)

A auxiliar de cozinha Daniele Fernandes Rosa, 30, perdeu absolutamente tudo o que tinha em um incêndio em sua casa na noite de terça-feira, 1º, no Conjunto Habitacional Aparecidinho 2, em Santo Antônio da Platina. Nem mesmo seus documentos pessoais e de seus dois filhos foi possível salvar do fogo que consumiu o imóvel, que segundo vizinhos teria sido provocado pelo ex-marido de Daniele, Emerson Aparecido Silveira, 33, de quem está separada há três meses.

Daniele Rosa se emocionou ao retornar na manhã de quarta-feira 02, ao local do incêndio (Antônio de Picolli / Tribuna do Vale)

Na manhã de quarta-feira, 2, a auxiliar de cozinha retornou pela primeira vez ao local após o incêndio, acompanhada por uma equipe de reportagem da Tribuna do Vale e de duas sobrinhas que também moravam com ela e os filhos de 3 e 8 anos no imóvel. Em prantos, em meio ao que restou da estrutura de alvenaria, Daniele só se perguntava: “por quê?”.

Ela contou que no início da noite de terça-feira seguia do trabalho para sua casa, quando recebeu um telefonema informando-a que se ex-marido – que está proibido de se aproximar dela e dos filhos por conta de uma medida protetiva da Justiça em consequência de violência doméstica – estaria rondando a sua residência. Ela então comunicou a Polícia Militar, mas pouco depois outra ligação a informou que sua casa estava pegando fogo.

Quando viu o imóvel em chamas, Daniele desmaiou e precisou de atendimento. Enquanto os vizinhos a ajudavam e tentavam combater o incêndio antes da chegada do Corpo de Bombeiros, seu ex-marido apareceu perguntando pelos filhos e, segundo acusa a auxiliar de cozinha, agredindo-a verbalmente com insinuações de que ela seria a culpada pelo incêndio.

Entretanto, alguns vizinhos viram e ouviram Silveira arrombando a porta da cozinha da casa pouco antes do incêndio começar e o denunciaram aos policiais militares que atendiam a ocorrência, que lhe deram voz de prisão. “Ele é louco! Vivia dizendo às crianças que iria me matar caso eu não voltasse com ele. Foram oito anos de sofrimento ao lado desse cara, até eu decidir pela separação por não aguentar mais apanhar. Ele já foi preso por me agredir, mas saiu logo da cadeia. Vamos ver se agora ele irá permanecer atrás das grades”, cobra Daniele.

Ajuda

Na noite de terça-feira, vizinhos ofereceram abrigo à família da auxiliar de cozinha. Na manhã de ontem, uma equipe da Secretaria de Assistência Social também prometeu ajudar os moradores. Contudo, Daniele, os filhos e as sobrinhas ainda necessitam muito da solidariedade das pessoas.

Quem puder colaborar de alguma forma com a família deve entrar em contato através do número (43)99814-9721.