Evento alerta para malefícios do álcool e tabaco

O evento, que acontece na sede da Sociedade Paranaense de Pediatria, em Curitiba

Evento alerta para malefícios do álcool e tabaco para crianças e adolescentes. Foto: Divulgação SEDS

A Sociedade Paranaense de Pediatria (SPP), com apoio da Secretaria de Estado da Saúde, realiza neste sábado (26) o evento de prevenção ao uso de álcool e tabaco dirigido a crianças e adolescentes. Com o tema ‘Mexa-se! Saúde na Cabeça. Álcool e Tabaco, Esqueça’, a iniciativa tem como objetivo estimular o debate acerca dos temas. O evento, que acontece na sede da SPP, em Curitiba, é aberto ao público e a entrada é franca.

“Incentivar hábitos saudáveis e promover a saúde é um grande investimento. O Estado do Paraná tem já há alguns anos se engajado na luta contra o álcool e o tabaco. Quanto mais cedo começarmos a conscientizar a população, melhores são os frutos para a saúde do paranaense”, destacou o secretário de estado da Saúde, Michele Caputo Neto.

Segundo dados do Estudo de Riscos Cardiovasculares em Adolescentes, de 2016, 20% dos adolescentes do país já experimentaram álcool pelo menos uma vez e, destes, aproximadamente 25% têm menos de 12 anos de idade.

Com o tabaco, a realidade não é diferente. Estudos da Universidade Estadual de Maringá mostram que 12% dos adolescentes do país já experimentaram tabaco (destes, a maioria é mulher).

A pediatra da Divisão de Saúde da Criança, Iolanda Maria Novadzki, ressalta também que, quanto mais cedo a criança ou o adolescente tiver contato com o álcool e tabaco, maiores serão as chances de se tornarem adultos dependentes.

“Precisamos conscientizar a população dos malefícios que estas drogas lícitas podem causar e tomarmos cuidado, pois elas também podem ser o caminho para drogas ilícitas. Tanto o álcool quanto o tabaco contribuem muito para o aumento da mortalidade dos jovens no país”, enfatizou Iolanda.

Adolescentes que começam a beber antes dos 15 anos apresentam quatro vezes mais predisposição para se tornarem adultos dependentes do álcool. Ao mesmo tempo, 90% dos fumantes iniciam o seu uso antes dos 19 anos e 50% dos adolescentes que experimentaram um cigarro se tornam adultos fumantes.

“Esta é uma luta que profissionais e população precisam estar juntos. Apenas assim vamos conseguir diminuir os males que estas drogas causam”, reiterou a pediatra.