Cisnorpi inicia triagem para cirurgias eletivas no HR

Essa programação diz respeito apenas às cirurgias eletivas que serão feitas no Hospital Regional

Divulgação

O Consórcio Intermunicipal de Saúde do Norte Pioneiro (Cisnorpi), já deu início à triagem para o mutirão de cirurgias eletivas que serão feitas a partir de setembro no Hospital  Regional do Norte Pioneiro, sediado em Santo Antônio da Platina. Também já foi elaborada uma programação para os próximos quatro meses, por especialidades. Entre Urologia, Vesicular, Ginecologia e Cirurgia Geral serão realizadas 300 operações. A previsão inicial era fazer todos os procedimentos em seis meses, mas houve atrasos na preparação das atividades, o que reduziu o tempo e acabou aumentando o número de cirurgias que vão ocorrer por mês. A área de clínica geral é a que reúne maior número de pacientes à espera de uma cirurgia: 150; ginecologia, 60; Urologia, 42; Vesicular, 48.

Essa programação diz respeito apenas às cirurgias eletivas que serão feitas no Hospital Regional, em Santo Antônio da Platina, que é gerenciado pelo Cinsorpi, mas o mutirão acontecerá também em outras unidades de saúde, de outros municípios como Jacarezinho,  Siqueira Campos, Cambará e Ibaiti, porém, essas estão sendo agendadas pela 19ª Regional de Saúde, que ainda não divulgou a sua programação.

O mutirão de cirurgias eletivas é uma iniciativa do governo estadual e já está ocorrendo em várias cidades do Estado.

No mês passado, quando o governador esteve em Jacarezinho anunciando recursos para a região, confirmou o mutirão também no Norte Pioneiro. Segundo Richa, a ideia é reduzir ao máximo a fila de espera de pacientes que necessitam de cirurgias.

O governador afirmou, na ocasião, que no Estado, já haviam sido feitos 66 mil procedimentos. “Somos o único estado do Brasil que faz cirurgias com recursos próprios, o que demonstra a situação financeira privilegiada em relação ao resto do País”.

Sem filas

O secretário Estadual da Saúde, Michele Caputo Neto, disse que no Norte Pioneiro, o mutirão vai tirar mil pessoas da fila de espera. “O governo investe para devolver a qualidade de vida às pessoas”, disse o secretário.