Bombeiros atuam na formação de Brigadistas Escolares

Esse trabalho tem sido feito anualmente nas escolas com o objetivo de preparar a comunidade escolar para ações preventivas.

Uma das orientações é sobre o suo correto do extintor de incêndio (Divulgação)

O Núcleo Regional de Educação em parceria com o 3º Grupamento de Bombeiros de Jacarezinho concluiu mais uma etapa do curso de Formação de Brigadistas Escolares, que aconteceram em quatro polos e foram ministradas pelos bombeiros soldados Rafael Marchioni e Hugo Leonardo Origa. O primeiro polo ocorreu no dia 9 de agosto na escola Imaculada Conceição, de Jacarezinho. Participam do curso os servidores da educação que atuam nos estabelecimentos de Jacarezinho, Abatiá e Ribeirão do Pinhal. No dia 11 de agosto, a formação ocorreu em Santo Antônio da Platina, no Colégio Estadual Rio Branco e também participaram os servidores da educação que atuam nas escolas estaduais de Santo Antônio da Platina e Jundiaí do Sul. O penúltimo polo ocorreu no dia 15 de agosto em Carlópolis, na sede da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) Edwirges Benedito do Amaral. Participaram deste polo os servidores da educação que atuam nos estabelecimentos de Carlópolis, Ribeirão Claro, Joaquim Távora e Quatiguá.

O último polo foi realizado em Cambará, no Colégio Angelina Ricci Vezozzo, com a participação dos servidores que atuam nas escolas de Cambará, Andirá e Barra do Jacaré.

A chefe do Núcleo Regional da Educação, com sede em Jacarezinho, professora Magda Cristina Souza Nogueira  destacou a importância do curso para garantir a segurança e integridade física da comunidade escolar. Ela também parabenizou e agradeceu a dedicação dos bombeiros e dos  novos brigadistas escolares.

O subtenente do Corpo de Bombeiros de Jacarezinho,  Reinaldo Almeida Santos, que coordena a formação de Brigadistas nas Escolas, explicou que esse trabalho tem sido feito anualmente nas escolas com o objetivo de preparar a comunidade escolar para ações preventivas. “É preciso ter noções básicas de sobrevivência em situações de risco. Trabalhamos com servidores, mas fazemos questão de dedicar uma boa parte do aprendizado para os alunos. Crianças são multiplicadoras. Elas aprendem e levam o conhecimento para suas casas e amigos. E em situações de risco, certas atitudes podem salvar vidas”, comentou.

Bombeiros oferecem aulas teóricas e práticas nas escolas para servidores e alunos (Divulgação)

Entre os ensinamentos, os bombeiros oferecem noções de salvamento de pessoas que estão se afogando, mal súbito, acidentes com botijões de gás, acidentes domésticos, incêndios, tempestades, vendavais, tornados, e até mesmo perigo de terremotos, uso apropriado do extintor de incêndio, e outras medidas que ajudam na sobrevivência em casos de riscos de vida. “Um extintor de incêndio fica a um metro e sessenta de altura. O motivo é para que qualquer pessoa de estatura mediana tenha acesso fácil ao equipamento e ao disparo do gatilho. Ensinamos como usá-lo com segurança”, explicou o subtenente contando que em todas as formações são promovidas simulações de várias circunstâncias.