Prefeitura investe mais de R$ 1 milhão na contratação de médicos plantonistas

Para o prefeito Zezão, o atendimento no PS ganhará dinamismo com o reforço e revezamento de mais médicos

Antônio de Picolli / Tribuna do Vale

A prefeitura de Santo Antônio da Platina publicou na edição de terça-feira, 4, do Diário Oficial do Norte Pioneiro, o credenciamento de cinco empresas que prestam serviços de assistência médica hospitalar para garantir a presença de mais plantonistas no Pronto Socorro Municipal. Juntas, elas custarão mais de R$ 1 milhão em um período de 12 meses. A intenção é reforçar o atendimento no Pronto Socorro, que dependendo do dia, poderá ter até dois profissionais atuando no mesmo período.

Segundo o prefeito José da Silva Coelho Neto, o Zezão, após a publicação oficial do credenciamento, as empresas têm 10 dias para começarem a atuar. “Acredito que por volta do dia 14 deste mês, já teremos reforço de plantonistas no Pronto Socorro e assim poderemos oferecer mais agilidade em relação ao atendimento e reduzir ao máximo o tempo de espera dos pacientes”, disse.

O prefeito explicou que as empresas devem trabalhar no sistema de revezamento. “Cada uma delas tem que ter pelo menos um médico para fazer o plantão. Provavelmente, farão uma programação de trabalho. A responsabilidade do plantão e a qualidade são de competência das empresas, mas tudo sob a fiscalização da prefeitura. A intensão é oferecer o melhor aos nossos moradores. Estamos investindo na área da Saúde para que a população seja bem atendida. É tudo o que queremos”, disse.

Segundo Zezão, hoje o plantão do Pronto Socorro é feito por três médicos. “É muito pouco diante da demanda. Esperamos que com esse credenciamento de empresas, não ocorram mais demoras e que os pacientes sejam atendidos da melhor forma possível”, disse.

De acordo com o prefeito, as empresas credenciadas são exclusivas para atendimento do Pronto Socorro.

A medida vem ao encontro de um problema sério que a gestão do prefeito Zezão vem passando em relação ao atendimento no Pronto Socorro. Já há alguns meses, foi implantado o protocolo de Manchester, que classifica o nível de gravidade dos pacientes.  O sistema prioriza o atendimento pela gravidade e não por ordem de chegada, e também determina o tempo de espera conforme o estado de saúde da pessoa. A nova forma de atendimento tem causado inúmeros transtornos e são raros os dias em que a polícia não é chamada para acalmar os ânimos tanto de pacientes quanto de funcionários.

Com mais médicos fazendo o plantão, a tendência é que o atendimento à população seja mais dinâmico e de melhor qualidade.