Pequeno produtor se torna referência em empreendedorismo em Ribeirão do Pinhal

Hoje a família tem 25 cabeças de gado e produz uma média de 100 litros de leite por dia. A meta é ampliar o rebanho e chegar a 300 litros de leite por dia nos próximos dois anos.

Claiton e o pai Josuel querem ampliar a produção em dois anos (Divulgação)

O jovem agricultor Claiton Cesar da Silva Fernandes, 25 anos, mudou a perspectiva de abandonar o campo em busca de oportunidade de trabalho na cidade criando alternativas para produzir na propriedade familiar de pouco mais de dois hectares. Hoje a família tem 25 cabeças de gado e produz uma média de 100 litros de leite por dia. A meta é ampliar o rebanho e chegar a 300 litros de leite por dia nos próximos dois anos.

A família, sempre voltada para área agrícola, estava desanimada com o baixo retorno da produção de café, algodão e milho, fato que obrigava os produtores a trabalhar em outras atividades.

O agricultor Josuel Fernandes, pai de Claiton, após ter problemas de saúde teve a intenção de desistir, mas o filho decidiu tentar uma forma diferente. “Há cerca de quatro anos pensei em ir para cidade, mas foi nesta propriedade que me criei e sempre gostei de trabalhar com a terra, não queria ter que deixá-la, então fui pedir uma orientação na Emater sobre o que poderia fazer. O técnicoGarcia me orientou a  investir na produção de leite usando o capim-napier para alimentar o gado”. Claiton disse que já tinha ouvido falar desse capim, mas não sabia como fazer, então participou de cursos oferecidos pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar-PR) e aprendeu a trabalhar com a silagem. “A orientação e os cursos foram muito importantes para começar a mudar o jeito de produzir e contamos também com a assistência da Emater para aprender controlar a produção”, ressalta o produtor.

O técnico da Emater, Ludovino Garcia dos Santos explica que o capim-napier é uma fonte viável e nutritiva para a alimentação bovina, com bom custo-benefício e se apresenta mais vantajoso em relação à silagem de milho. AEmater fornece assistência técnica e acompanhamento para gestão da propriedade. “Nós ajudamos o Claiton explicando como ele poderia ter bons resultados com baixo custo para produção de leite e o rapaz surpreendeu, pois trabalhou bastante e conseguiu triplicar os rendimentos da propriedade, fazendo o que gosta”, avalia Garcia.

Segundo o secretário municipal de Agricultura e Meio Ambiente, Alcídio Balduíno de Souza Júnior, a Prefeitura de Ribeirão do Pinhal contribui com produtores de leite, cedendo em comodato os resfriadores e em breve serão fornecidos um trator para silagem, carreta basculante, distribuidor de fertilizante, distribuidor de adubo orgânico, conseguido por meio de projetos com o Governo Estadual, que são utilizados de forma comunitária. A prefeitura também mantém o programa de inseminação artificial e cuida da manutenção das estradas para garantir o transporte da produção.

A história de Claiton foi apresentada no evento Dia de Campo Regional, promovido pelo Instituto Emater, na sexta-feira (30), que abordou a silagem de naipe como alternativa viável na bovinocultura de leite. Segundo o técnico da Emater, Ludovino Garcia dos Santos, o jovem se tornou uma referência regional de que é possível aumentar a produção com baixo custo.