Câmara solicita estacionamento em 45° para ampliar número de vagas

O requerimento é um pedido da população e dos próprios comerciantes”, comentou Boberg.

Departamento de Trânsito aponta que estacionamento em frente à catedral pode ser alterado para 45 graus (Dayse Miranda)

A Câmara dos Vereadores de Jacarezinho aprovou por unanimidade durante a sessão ordinária da última segunda-feira, 17, o requerimento encaminhado à prefeitura que solicita ao Departamento de Trânsito a mudança para estacionamento em ângulo de 45 graus de algumas vias da área central da cidade. O documento, assinado pelos vereadores Fúlvio Boberg (PMDB) e Patrícia Martoni (PDT) tem por finalidade atender às reclamações da população devido a um problema crônico no centro da cidade, que é a falta de vagas de estacionamento.

Boberg aponta que, assim como em Santo Antônio da Platina, o estacionamento em ângulo de 45° tem dado certo na avenida Oliveira Motta, portanto, Jacarezinho também tem chances de dar certo. A intenção é de ampliar o número de vagas para maior comodidade da população ao frequentar a área central, estabelecimentos comerciais, bancos e entre outros. Outra medida que o parlamentar aponta é a volta da Zona Azul na cidade para que o estacionamento seja rotativo. “O número de veículos aumentou muito, não há mais vagas. É preciso caminhar de quatro a cinco quadras para serviços rápidos no centro. O requerimento é um pedido da população e dos próprios comerciantes”, comentou Boberg.

O chefe do Departamento de Trânsito Aparecido Donizete Elero justifica que inicialmente é preciso fazer um estudo das vias centrais da cidade para analisar a possibilidade fazer estacionamento em 45°, pois, onde se tem a intenção de precisa de ruas largas e com poucas garagens. “O estacionamento na diagonal ele é relativo, pois, nas quadras onde se há muitas garagens, ao invés de ganhar espaço, perdemos, porque é preciso deixar um metro de cada lado da garagem para o veículo sair. Em frente á Catedral na avenida Getúlio Vargas seria ideal, já na rua Paraná é impossível”, disse o chefe do departamento.

Para que Jacarezinho tenha um trânsito correto e rotativo, Elero adianta que é necessário aprovar a municipalização do trânsito, onde daí sim seria possível a implantação da Zona Azul. Atualmente o serviço não pode vigorar porque vai em desacordo com a legislação do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), que não permite infração, caso seja o condutor descumpra com as exigências impostas pela Zona Azul. “Temos uma frota de aproximadamente 26 mil veículos, ou seja, isso representa meio veículo para cada habitante de Jacarezinho precisamos evoluir. Espero que o Departamento e a Câmara entrem em uma parceria para aprovação nesta gestão. O município não precisa investir nada, apenas montar um Jari – Juntas Administrativas de Recursos de Infrações”, explicou Elero.

População aprova mudança

Indignados com a falta de vagas na região central, alguns condutores aprovam a alteração no trânsito de Jacarezinho. “No Centro não acha mais lugar para estacionar, está difícil. A volta da Zona Azul seria ideal, porque a gente paga, mas pelo menos encontra vagas. Levei muita sorte hoje em encontrar vaga. O estacionamento na diagonal vai permitir sim maior comodidade, mas com o passar do tempo pode não resolver mais”, comentou o motorista Edson Pereira.

Quem compartilha da mesma opinião é o aposentado José Inácio da Silveira Lima, desde que saiu a Zona Azul não se encontra mais vagas, principalmente nos horários de pico, das 9 horas às 12 horas. Ele conta que a única forma que encontra de aproveitar uma vaga no Centro é indo ao supermercado fazer alguma compra, que já aproveita que o veículo está estacionado para fazer banco. “Ninguém respeita as vagas de deficientes e idosos. Dificilmente encontro os estacionamentos prioritários vagos. Talvez a volta da Zona Azul seja mais importante para que exista mais respeito no trânsito”, opinou.