Ações do Estado consolidam Sistema Único de Assistência Social no Paraná

O aumento dos investimentos por meio do Fundo Estadual da Assistência Social e o programa Família Paranaense

14/07/2017 - Secretaria da Família Consolida o Sistema Único de Assistência Social no Paraná Foto: Rogério Machado/SECS

O Sistema Único de Assistência Social (Suas), que neste sábado (15) completa 12 anos de criação, foi consolidado no Paraná com investimentos e programas realizados pela Secretaria da Família e Desenvolvimento Social. O aumento dos investimentos por meio do Fundo Estadual da Assistência Social e o programa Família Paranaense, que já atendeu a 282 mil famílias em situação de vulnerabilidade social, são ações que fazem parte das diretrizes do Suas.

Entre as iniciativas para fortalecer a política de assistência social no Paraná, a secretária da Família, Fernanda Richa, destaca que, em seis anos, o Governo do Estado aumentou os investimentos com recursos do Fundo Estadual de Assistência Social em 15 vezes. “Descentralizamos a gestão em 22 escritórios regionais para atender às características de cada população e fazer chegar os serviços a quem mais precisa. Também unimos forças com outras secretarias e ampliamos os benefícios”, afirma Fernanda.

Exemplo da parceria entre órgãos públicos, que termina por gerar uma ação intersetorial, é o Renda Agricultor Familiar, parte do programa Família Paranaense. A ação foi colocada em prática a partir da localização e inserção das pessoas do Cadastro Único (CadÚnico). Depois, com apoio do Instituto Emater foi levada a 348 famílias em 19 municípios. A meta até 2019 é chegar a 5,6 mil famílias que vivem do campo.

ÁGUA – Em São João do Triunfo, nos Campos Gerais, o benefício já mudou a vida de 13 pessoas da área rural. A cerca de 40 minutos do centro da cidade, vivem Virgínia Chimanski de Paula, 46 anos, com os dois filhos, de 14 e 4 anos, e, em outra residência, sua irmã Geovana Aparecida de Paula, 43, com o marido e três filhos, de 16, 12 e 8 anos. Próximo a elas, a sobrinha das duas, Everilda Cordeiro de Paula, 25 anos, divide a casa com a mãe e o pai, de 60 e 56 anos, com o filho, de 6, e a irmã, de 22 anos.

A água para abastecer as casas chegava em garrafas e baldes, retirada de um rio e de uma nascente. Banheiros eram improvisados, com condições precárias de higiene. Depois da avaliação do técnico da Emater, foi estabelecido que o recurso do programa seria usado para canalizar água e dar estrutura básica aos moradores das três residências.

Agora, todos têm banheiros de alvenaria, com fossa, e podem lavar roupa, fazer a higiene e matar a sede com muito mais conforto e segurança. A assistente social Erika Nissen, da equipe volante de Centro de Referência de Assistência Social (Cras) local, explicou que, com o apoio na infraestrutura das residências, as famílias adquiriram mais autonomia e reduziram a busca por apoio naquela unidade.

CAPACITAÇÃO – Para fortalecer a atuação dos profissionais que atuam no Suas, o Estado também tem investido constantemente na capacitação. Um exemplo disso é a equipe de assistência social que atende o município de Palmas, no Sul do Paraná, que incrementou sua forma de fazer o acompanhamento familiar.

Por meio de atividades lúdicas, como bonecos de papel e objetos representativos de situações de vida, têm alcançado bons resultados na fixação de informações e conhecimentos. “Trazemos as histórias e expectativas deles para o concreto e discutimos os caminhos possíveis”, comentou a psicóloga Jully Francielli Cesca, que compõe uma das equipes. Palmas conta com dois Cras.

A metodologia fez parte da capacitação dos profissionais dos Cras, prevista no Família Paranaense, e prepara os técnicos para lidar com as peculiaridades de cada situação e apoiar as famílias na sua emancipação.

EQUIPAMENTOS – Outro ponto fundamental para a consolidação do Suas no Paraná, foi a estruturação da rede de atenção às pessoas em situação de vulnerabilidade social. O Estado conta com Cras em 100% dos municípios. São mais de 2,2 mil equipamentos na rede socioassistencial.

O novo Cras de Barracão, no sudoeste do Estado, por exemplo, conquistou servidores e usuários em um ano de funcionamento. O prédio segue a nova planta padrão para essas unidades, com 206,65 metros quadrados, o dobro das anteriores. “Temos o instrumental da forma como sempre sonhamos”, resumiu Carlos Gesner Alves, coordenador do Cras.

A unidade tem capacidade de atender até 2,5 mil pessoas da região. De acordo com Carlos, com o novo prédio, inaugurado pelo governador Beto Richa em 3 de junho do ano passado, o usuário se sente valorizado e tem atendimento digno. “Muitos, pela situação de vulnerabilidade, tem a autoestima elevada ao ser recebido com mais qualidade na estrutura”, percebeu o coordenador.

Quem trabalha no Cras Barracão também ficou satisfeito em ter espaço para desenvolver atividades e prestar melhor atendimento. Dentro do prédio, há a possibilidade de fazer o Cadastro Único (CadÚnico), necessário para as famílias terem acesso aos programas sociais, o que torna mais rápidos os procedimentos. Além das salas para os profissionais de assistência social, psicologia e pedagogia, há cômodos para oficinas de capacitação.